Loading...
Quais adoçantes podem ser utilizados sem medo?
10jul

Quais adoçantes podem ser utilizados sem medo?

A busca pelo corpo perfeito foi o que alavancou tanto as vendas dos adoçantes nas redes de supermercado, além de aumentar o consumo e oferta de produtos que contém estas substâncias para substituir o açúcar comum (sacarose). O açúcar quando consumido em excesso, e sem estar associado a hábitos saudáveis é um grande precursor das doenças degenerativas, como diabetes, dislipidemias e obesidade, mas substituí-lo por adoçantes artificiais e fazer o consumo diário deles também pode não ser uma boa idéia

Os adoçantes tradicionais, de origem sintética e química trazem diversos malefícios à saúde quando usados constantemente. O aspartame por exemplo está relacionado a doenças no sistema nervoso, irritabilidade, resistência a insulina e dores de cabeça.

O ciclamato de sódio e a sacarina já foram associados em estudos com animais a diversos tipos de câncer quando utilizados de forma constante por um longo período.

Existem outras opções de adoçantes naturais, que não têm implicações na saúde, o problema é que muitas vezes são caros e difíceis de encontrar.

Os adoçantes naturais não adoçam tanto quanto os artificiais, ficando entre 50% e 300% acima do poder de adoçar do açúcar, enquanto os outros adoçam 200, 300 e até 600 vezes mais que a sacarose.

O stévia talvez seja o mais conhecido dos adoçantes naturais, ele é derivado de uma planta, e tem um poder de adoçar muito alto quando comparado aos outros. Alguns estudos até apontam que este tipo de produto pode melhorar a sensibilidade a insulina, ao contrário do que o açúcar comum e os adoçantes artificiais fazem. O problema de consumir o adoçante stévia é que normalmente ele está no sachê misturado com outros adoçantes artificiais e seu sabor residual pode incomodar algumas pessoas

Os polióis, onde os mais famosos são o xylitol, o eritritol, sorbitol e maltitol. São fibras fermentáveis que adoçam até o dobro que a sacarose e contém menos calorias, além disso, oferecem benefícios para o intestino pois são fermentados pelas bactérias do colón, para a saúde da pele e dos ossos, tendo seu único problema associado a eles, o custo e a disponibilidade no mercado. Vale fazer a ressalva que o xylitol para o ser humano é inofensivo mas para os cães ele é tóxico e pode causar hipoglicemia então não de alimentos que contém esse produto a eles.

Estes adoçantes não substituem a eficiência de um plano alimentar equilibrado e saudável elaborado por um profissional capacitado, e devem ser usados com moderação.

 





Deixe um comentário

Encontre um consultório perto de você e agende agora mesmo uma consulta

Assine nossa newsletter

Cadastre seu e-mail e receba nossa newsletter com novidades sobre nutrição!